quinta-feira, 10 de outubro de 2013

O QUE PRECISA TER NA PAREDE DA SALA DE AULA? AMBIENTE ALFABETIZADOR



COMO DECORAR O AMBIENTE DO ENSINO INFANTIL E FUNDAMENTAL 1

 

COMO DECORAR MINHA SALA DE AULA?

 

CHAMADINHA/LISTA DE NOMES DOS ALUNOS.

 

Essa pode ser bem criativa e ilustrada, gosto daquelas em que você encaixa as fichas dos nomes, assim você pode utilizar as fichas dando para os alunos manusearem, na internet você encontra vários modelos.


CALENDÁRIO

Utilizo sempre um bem grande com o tema da turma, onde posso fixar número por número assim trabalho numerais todos os dias na rotina. Meses e Dia da Semana também são moveis.

COMBINADOS DA TURMA

Deve-se fazer um acordo de comportamento com os alunos, o que se pode e o que não pode, e registrá-lo em mural, através de palavras ou desenhos.

ROTINA

Crianças gostam de Rotina, por isso é interessante ter bem visível na sala toda ordem das atividades do dia, em desenho ou registro escrito.

PALAVRAS MÁGICAS

As regrinhas da boa educação também devem estar fixadas para toda turma.

ALFABETO e NUMERAIS

De pereferência alfabetos não ilustrados.

MODELO DE PLANO DE AULA. EXEMPLO


Você começou a dar aulas agora e sua supervisora te pede o caderno de planos...
 E agora? Como fazer o plano de aula?
Planejar é algo que dá trabalho, mas o que costumo dizer para as minhas professoras é que para quem não sabe para onde quer ir qualquer lugar serve.
Se você não planejar corre muito mais risco de falhar.
Então, mãos a obra! Não é nem um bicho de sete cabeças montar seus planos de aula, e vai te evitar uma série de aborrecimentos, e trazer qualidade a seu trabalho; com o tempo isso se torna parte de sua rotina.
Vai aí uma forcinha com este exemplo de plano de aula e as explicações de cada ítem.


1. TEMA (aqui você vai dar um nome a sua aula, relacionado a seu conteúdo)
Respeito à variação lingüística, português padrão e não padrão, tipos diferentes de fala.

2. OBJETIVOS (o que você pretende ensinar com esta aula)
·         Mostrar as diferentes formas de linguagens;
·         Trabalhar o respeito ao próximo;
·         Trabalhar a linguagem oral, atenção, confiança e a criatividade;
·         Desenvolver a motricidade fina;
·         Desenvolver a coordenação motora.

3. CONTEÚDOS (o conteúdo programático ligado ao planejamento escolar)
·         Linguagem
·         Coordenação Motora
·         Formação Humana

4. DURAÇÃO (quanto tempo será gasto)
A duração da aula será de 4 horas.

5. RECURSOS (quais materiais você vai uilizar)
Lápis de cor, lápis, borracha, TV e DVD, crachás de cartolina, revistas em quadrinho para a história.

6. METODOLOGIA (como será feito, passo a passo). Neste caso seria essa descrição:
6.1 Acolhimento
(Receba os alunos na porta com um beijo, e desejando boas vindas a todos. Por ser o primeiro dia de aula, coloque um crachá em cada criança para que eles se identifiquem melhor, e assimilem as iniciais do seu nome e dos colegas com o alfabeto)

6.3 Vídeo (nome do vídeo)
Logo após as crianças assistirem o vídeo com a música de Mara (Brasil, Brasil, Brasil), explique sobre as diferentes formas de linguagens, que variam de cidade para cidade, sobre as pessoas que falam de forma diferente, e que nem sempre está errado. Cite alguns nomes de frutas e legumes que são conhecidos em várias regiões com nomes diferentes. Ex: (Abóbora/gerimum/moranga),(mandioca/aipim), (mexerica/poncã/tangerina).

6.4 Rodinha
Sente com todos os alunos no chão, de preferência ao ar livre, para uma conversa sobre o vídeo, e fale sobre algumas pessoas que falam de forma diferente, e o que elas pensam sobre isso.

6.5 Intervalo e lanche para a educação infantil (15:00 às 15:30):
Leve as crianças para lavar as mãos para lanchar, em seguida leve para o pátio para brincarem, nesse momento é bom ficar de olho nas crianças, para não se machucarem. Assim que terminar o horário de recreio, leve-as para lavar as mãos novamente, e voltarem para a sala.

6.6 Momento calmaria
Logo após o intervalo, sente no centro da sala e conte uma história para as crianças, isso servirá para acalmá-los, depois de brincarem bastante no recreio. Uma sugestão pode ser uma história do Chico Bento, que conversa bem diferente, um inocente menino do campo, que fala errado (de acordo com a Gramática Normativa).  

6.7 Atividade do agricultor
Peça às crianças que desenhem sementinhas, ajudando o agricultor a plantar.

6.8 Escovação
Às 16:30 leve as crianças para escovar os dentes. Ao retornar para a sala, cante uma música, cantando as crianças expressam grandes valores esquecidos e que precisam ser resgatados.

6.9 Despedida
(despeça das crianças com o mesmo carinho e atenção que foram recebidos na chegada, pois assim eles sentirão que são queridos e sentirá vontade de voltar no dia seguinte.)

7. AVALIAÇÃO (Todos devem ser avaliados como participantes, se a capacidade de comunicação foi ampliada, como reagiram às situações e aos desafios propostos, se interagiram com os colegas. Anote tudo o que as crianças falaram na roda de conversa, se foi satisfatório ou se terá que propor novas atividades e conversas sobre o assunto. Algumas dessas informações, poderá ser útil, para fazer anotações no portfólio das crianças.)

CAPAS PARA CADERNO







LIBRAS - Dicionário da Língua Brasileira de Sinais

 

Leitura para surdos

Com o objetivo de estimular o apreço pela leitura e escrita e promover o desenvolvimento de habilidades em língua portuguesa.
 

 As obras são sugeridas aos alunos de acordo com a faixa etária e interesse e, após a leitura, os estudantes realizam uma apresentação sobre a obra, em Libras, como um incentivo à troca de informações e à produção de textos.

Jogo da memória de Matemática: subtração com base no 10.

Você sabe quanto é 10-2? E quanto é 10-8? No baralho, encontre os pares de cartas com as contas e seus respectivos resultados. Boa sorte!

Site: http://revistaescola.abril.com.br/fundamental-1/jogo-memoria-matematica-subtracao-base-10-637050.shtml

O que é deficiência auditiva?

É a perda parcial ou total da audição, causada por má-formação (causa genética), lesão na orelha ou nas estruturas que compõem o aparelho auditivo.

A deficiência auditiva moderada é a incapacidade de ouvir sons com intensidade menor que 50 decibeis e costuma ser compensada com a ajuda de aparelhos e acompanhamento terapêutico. Em graus mais avançados, como na perda auditiva severa (quando a pessoa não consegue ouvir sons abaixo dos 80 decibeis, em média) e profunda (quando não escuta sons emitidos com intensidade menor que 91 decibeis), aparelhos e órteses ajudam parcialmente, mas o aprendizado de Libras e da leitura orofacial, sempre que possível, é recomendado.

Perdas auditivas acima desses níveis são consideradas casos de surdez total. Quanto mais agudo o grau de deficiência auditiva, maior a dificuldade de aquisição da língua oral. É importante lembrar que a perda da audição deve ser diagnosticada por um médico especialista ou por um fonoaudiólogo.

Como lidar com a deficiência auditiva na escola?

Toda escola regular com alunos com deficiência auditiva tem o direito de receber um intérprete de Libras e material de apoio para as salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE). Para isso, recomenda-se que a direção da escola entre em contato com a Secretaria de Educação responsável.

No dia a dia, posturas simples do professor em sala facilitam o aprendizado do aluno surdo. Traga- o para as primeiras carteiras e fale com clareza, evitando cobrir a boca ou virar de costas para a turma, para permitir a leitura orofacial no caso dos alunos que sabem fazê-lo. Dê preferência ao uso de recursos visuais nas aulas, como projeções e registros no quadro negro.

Para os alunos com perda auditiva severa ou surdez, a aquisição da Língua Brasileira de Sinais é fundamental para a comunicação com os demais e para o processo de alfabetização inicial. O aprendizado de libras ocorre no contraturno, nas salas de AEE.

 É importante que professores da escola solicitem treinamento para aprender libras ou peçam o acompanhamento de um intérprete em sala. Isso garante a inclusão mais efetiva dos alunos.

Cartazes em Libras

Os Estado de brasileiro em Libras.
 

cartazes em Libras


quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Surdos comemora Dia dos Surdos – 26 de setembro.

O Dia Mundial do Surdo é comemorado por membros da comunidade surda de todo o mundo no dia 26 de setembro, com objetivo de relembrar as lutas vividas ao longo dos anos, como por exemplo, a luta em prol do reconhecimento da língua de sinais nos diversos países do mundo.



Amanda, professora de Libras e alunos Camila e Fábio. 

Glaucia, intérprete de libras e alunos Camila e Fábio.

Meus alunos Camila e Fábio e a pedagoga Aurinéia. 

Alunos Camila e Fábio, Diretora, intérprete de Libras Glaucia e pedagoga Aurinéia.

Aluno Camila e Fábio e pedagoga Shirleyd.

Meus alunos Camila e Fábio.

Dia 26 de setembro – Dia Nacional do Surdo

Mas... o que aconteceu no dia 26 de setembro? E por que se comemora o Dia Nacional do Surdo nessa data?

Tudo começou em 1857 do referido mês, durante o Império de D. Pedro II que trouxe para o Brasil o professor francês surdo Huetpara com a função de ensinar a língua para os surdos-mudos, através do método desenvolvido pelo abade Le`pee, no qual se usava sinais para lecionar e se comunicar com os alunos "surdos-mudos", ele fundou a primeira escola para Surdos. Na época, o Instituto era uma casa de repouso que foi reformada e ocupada para fins educacionais, onde só eram aceitos surdos do sexo masculino, os quais vinham de todos os pontos do país e, lamentavelmente, muitos deles eram abandonados pelas famílias. O objetivo do instituto era o de educar pessoas surdas unindo o método francês com a linguagem oral brasileira, porém havia uma certa proibição do uso exclusivo da Língua de Sinais.

Assim, nesse referido mês, tem-se então a comemoração da inauguração desta que foi primeira escola para Surdos que recebeu o nome de INES (Instituto Nacional de Educação de Surdos), situado no estado do Rio de Janeiro, cujo local é até hoje o centro de referência na disseminação de novas metodologias para o ensino-aprendizagem em língua de sinais e, da própria língua – Libras (Língua de Sinais Brasileira).

Esse Instituto é também o responsável pela luta junto aos órgãos públicos para a instauração da Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que reconheceu a Libras como língua e oficializou os direitos dos surdos usuários de Libras para se comunicarem, além de proporcionar aos surdos e interessados sobre o assunto, informações em âmbito público ou pessoal sobre as relações familiares e interpessoais. A lei também esclarece que Libras não pode substituir a língua portuguesa na modalidade escrita por esta representar um locus de comunicação com o meio majoritário ouvinte.

Vale ressaltar, que existe uma lei que determina o dia 26 de Setembro como "Dia Nacional dos Surdos", afinal, ele se torna relevante pois proporciona um marco para o reconhecimento do surdo, enquanto um cidadão brasileiro com direitos e deveres, tais quais os ouvintes, assim foi criada a Lei Federal nº 11.796, de 29 de outubro de 2008 pelo então Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. (abaixo)

Em suma, nessa data o povo e a comunidade surda relembram as lutas históricas por melhores condições de vida, trabalho, educação, saúde, dignidade, cidadania e direitos de igualdade cultural, indenitária e linguística. Atualmente, há uma mobilização de luta pela escola bilíngue para surdos a nível nacional, que valoriza o "ser surdo" e o orgulho de pertencer a esta comunidade, gerando não uma situação de vergonha como outrora, mas sim uma crescente coragem em poder participar da sociedade como cidadão que exerce seus direitos plenos perante a sociedade. É importante aproveitar esse dia de hoje para refletir alguns instantes sobre a importância de se trabalhar para uma sociedade que seja mais justa para todos. Parabéns, Surdos e Surdas! Tenham orgulho de serem surdos!

"Lei nº 11.796, de 29 de outubro de 2008.

Institui o Dia Nacional dos Surdos.

O Presidente da República. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o Fica instituído o dia 26 de setembro de cada ano como o Dia Nacional dos Surdos.

Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 29 de outubro de 2008; 187o da Independência e 120o da República."

Luiz Inácio Lula da Silva

Fernando Haddad

João Luiz Silva Ferreira

Dilma Rousseff

(Fonte: http://www.planalto.gov.br/ccivil03/Ato2007-2010/2008/Lei/L11796.htm:)

(Diego Leonardo P. Vaz, professor Surdo do curso de Letras-Libras na UFG)

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Variação linguística - LIBRAS e Língua Portuguesa

 

Assim como em outras línguas, na LIBRAS também temos formas alternativas de dizer a mesma coisa. Essas variações podem ocorrer por região, por idade, por grupos e/ou comunidades diferentes.

Exemplo no português:
Mandioca, conhecida em diferentes regiões, como aipi, aipim, castelinha, macaxeira.


Em Libras:

 

 

Jogos em português e Libras

 
 
O Multi-trilhas é um material educativo para ajudar os surdos na aprendizagem do português escrito.

Você pode conhecer os substantivos, verbos, adjetivos e pronomes em duas línguas: Libras e Português.


Site: http://www.multi-trilhas.com/

Meus alunos surdos Camila e Igercino


Sinais de Pontuação

 
Apresente os sinais de pontuação para classe na lousa, coloque um de cada vez e pergunte para que serve esse ponto.
Depois entregue a folha e confira a definição de cada ponto com a classe.
Pedir para a classe dar exemplos de frases com cada pontuação.
Colocar as frases na lousa para os alunos copiarem.